domingo, 14 de novembro de 2010

Época 2009-2010 continuação

Depois de Oeiras começaram as provas internacionais e etapas do Campeonato Nacional Individual
Campeonato da Europa, Athlone - era o último Campeonato da Europa como atleta júnior e queria fazer um bom resultado. Estagiei com o grupo dos juniores semanas antes e cheguei lá bem preparado. Tal como eu esperava, a prova correu-me muito bem, começando com uma boa natação. Na bike, depois de um esforço inicial embora que curto, não me desgastei e deixei o trabalho essencial para os restantes elementos. Com isto, consegui uma corrida de bom nível e cortei a meta em 12º classificado, o melhor entre os júniores masculinos portugueses.
Triatlo de Aveiro - Era a minha 1ª etapa do Campeonato Nacional Individual e como corria em casa, a pressão era grande. Na verdade, não cheguei à prova como devia ter chegado. Depois do europeu distraí-me um pouco (o que é natural depois de um bom resultado, mas que não devia ter acontecido, porque sabia as provas que ainda faltavam) e portanto as coisas podiam ter corrido melhor. 2ª à saída da água e claro, integração no grupo da frente. Perdi 1 lugar na corrida e no final, 5º classificado. Não foi bom, mas podia ter sido muito pior. No dia seguinte, havia a prova de estafetas, que era o Campeonato Nacional de Clubes. A pressão era grande, já que estava na equipa principal do Clube Olímpico de Oeiras, que defendia o título com uma equipa apenas constituído por júniores. José Veiga, eu e Miguel Fernandes. No final, conseguimos a 2ª posição da geral. Quanto aos júniores, a minha equipa ganhou claramente a competição.
Campeonato do Mundo, Budapeste - Era a 2ª vez que ia participar num Campeonato do Mundo. Da 1ª vez as coisas não tinham corrido muito bem, mas desta feita as coisas não podiam ter corrido melhor. Com um estágio de preparação em altitude, cheguei a Budapeste no meu melhor momento de forma da época. Na prova, juntou um grupo grande na frente, com cerca de 30 elementos e todos os Tugas (Eu, Miguel Fernandes e João Serrano). Decisão para a corrida final. Do grupo fui o 10º melhor, mas como fui passado por um atleta do grupo de trás, o resultado final foi o 11º posto. Sem dúvida uma época internacional que para mim foi brilhante e uma grande forma de terminar o escalão júnior.
Triatlo de Setúbal - Aproveitando o balanço do Campeonato do Mundo, foi também uma boa prova. Depois de integrar o grupo que perseguia o João Pereira, chegado à corrida consegui fazer um bom parcial. O percurso era muito duro, mas saí-me bem e repeti o 5º lugar de Aveiro. Na meta, era o melhor júnior, o que confirmava o meu bom momento de forma.
Triatlo de Montemor-o-Velho - A época foi longa e acabou na final do Campeonato Nacional Individual. Trabalhei para chegar bem a esta prova, já que tinha boas hipóteses no Campeonato. Depois de nadar bem e ter uma bike tranquila, pensava que estava forte para correr. Enganei-me. Estava muito preso e cansado e o resultado foi mau. Acabei na 11ª posição e perdi uma posição, o que me relegou para o 4º lugar final do Campeonato Nacional Individual.
Conclusão - Apesar de ter começado de uma forma atribulada e de ter acabado com uma prova menos boa como já expliquei, posso afirmar que tive uma excelente época. Dos objectivos que tracei a mim mesmo no inicio da época, apenas falhei um, por isso posso dizer que foi uma época muito boa. Se tivesse conseguido ficar no pódio do Campeonato Nacional Individual (foi o objectivo que falhei), tinha sido uma época excelente. Vou trabalhar para que para o ano assim seja. Obrigado e desculpem qualquer coisa...

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Época 2009-2010

As minhas férias estam a acabar e para semana já começo a dar no duro outra vez. Posto isto, decidi vir aqui postar qualquer coisa como um resumo desta época que passou. Então aqui vai...
Duatlo do Cadaval - A época começou mais tarde do que era suposto devido a lesão, por isso não é de estranhar que tenha chegado a esta prova em baixo de forma e que ela não tenha corrido muito bem. A época não começou muito bem.
Triatlo do Ribatejo - Já bem melhor do que no Cadaval, as coisas ainda não correram como eu queria. Perdi tempo na água que acabei por recuperar no ciclismo. Na corrida éramos um grupo muito grande e acabei por perder com a maior parte deles e ainda ser passado por alguns de trás. 6º júnior não me dava acesso ao Campeonato da Europa, ou seja as próximas provas tinham obrigatoriamente que ser melhores.
Triatlo de Quarteira - Muito trabalhei para chegar bem a esta prova. Sabia que os atletas mais velhos estariam afastados uma vez que iriam competir na Taça da Europa do dia a seguir e por isso era uma boa prova para fazer uma boa classificação. Uma boa natação, um ciclismo em contra-relógio e uma corrida já algo desgastado. Resultado final, 3º lugar geral e júnior. Já foi bem melhor. As coisas estavam a encarreirar.
Duatlo de Matosinhos - Campeonato Nacional de Júniores. O duatlo nunca foi o meu forte e ainda para mais cheguei a esta prova muito cansado dos treinos dessa semana. Não foi um bom resultado e a minha época estava a ter muitos altos e baixos e ainda só tinha disputado 4 provas. Havia muito para fazer para melhorar.
Triatlo de Abrantes - Acho que foi o ponto de viragem da minha época. Esta prova já me correu muito bem e consegui um bom lugar à geral e nos júniores fui 2º. Tinha dado bons indicadores para as 2 provas de qualificação para o Campeonato da Europa que faltavam (esta não contava).
Triatlo de Coimbra - Campeonato Nacional Universitário. Tinha boas expectativas para esta prova. Comecei com uma excelente natação o que me permitiu forçar logo à saída do parque e seleccionar o grupo. Ao fim de uma volta éramos só 3 no grupo da frente: eu, o Bruno Pais e o João Serrano, no entanto, destes 3 eu era o único a disputar o Universitário. Na corrida final acabou por ser fácil garantir o título dada a vantagem que tínhamos sobre o grupo perseguidor onde vinham os outros candidatos ao título. 3º da geral e campeão nacional universitário foi o melhor resultado da época até à altura.
Triatlo de Peniche - Campeonato Nacional de Júniores e Age-groups. Continuei com boas provas e esta foi mais uma. Incluí o grupo da frente como sempre aconteceu esta época. Consegui mexer qualquer coisa na bike e na corrida final garanti a 5ª posição da prova e 3º entre os júniores.
Triatlo de Oeiras - Se até aqui tinha sempre saído no grupo da frente, desta vez falhei. Perdi tempo precioso na água e na bike tive de ir atrás do prejuízo. À saída do parque tinha cerca de 20seg de desvantagem para o duo que seguia na frente (Amorim e Serrano). Entre mim e este duo encontravam-se 5 atletas. Sabia que tinha de fazer o trabalho todo sozinho e que não podia trazer ninguém na minha roda. Foi isso que fiz. Ataquei mal me montei na bike e coloquei-me logo na 3ª posição em perseguição ao duo da frente. Consegui apanhá-los aos 12km e segui com eles até ao fim. No fim deste esforço todo, a corrida foi muito sofrida e fui passado pelo José Veiga. Resultado final: 4º absoluto, 4º júnior.
Bem, o post já vai algo longo e ainda faltam algumas provas. Até aqui a época veio sempre a melhorar e o que aconteceu daqui para a frente até hoje, será relatado por mim, mas não hoje. Talvez amanhã.
Obrigado por me "aturarem"

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Plano de Treino

Boas. Passo por aqui hoje numa altura bem descontraída em que me encontro, visto que estou de "férias" do triatlo. Apesar de ter os estudos e tudo mais, este período dá para fazer coisas engraçadas que não temos hipótese de fazer em qualquer outra altura do ano. Portanto, para que tenham ideia daquilo que fazemos agora, aqui deixo aquilo que é mais ou menos o planeamento. Ao analisarem, tenham em conta que as actividades a vermelho são obrigatórias e marcadas pelos técnico da FTP e todas as outras, digamos que são organizadas pela malta aqui do corredor :D. Aqui vai uma proposta. Desfrutem...
Caso tenham alguma dúvida, podem sempre contactar-me para serem esclarecidos. O plano é susceptível de alterações, por isso se alguém tiver ideias, mande vir. Obrigado :P

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Final do Campeonato Nacional Individual

Foi no passado domingo dia 17 de Outubro que se realizou o último triatlo desta época. Ao contrário daquilo que tem acontecido nos últimos anos e devido ao mau tempo e forte ondulação do mar na praia do Tamariz nas datas em que estava previsto o Triatlo do Estoril, a final do Campeonato Nacional de Triatlo foi adiada uma semana e com isto foi também deslocada para Montemor-o-Velho. Os horários das provas mantinham-se todos iguais e estava prevista uma manhã de domingo cheia de Triatlo e emoções fortes. Para abrir as competições houve uma primeira prova, naturalmente com distâncias mais curtas que foi ganha pelo Miguel Fernandes - Clube Olímpico de Oeiras.
Mais tarde iria desenrolar-se a final do campeonato Nacional disputada na distância Olímpica. Com partidas separadas, as atletas femininas partiam às 11h00 e os atletas masculinos 30min depois às 11h30. Com este tempo entre as provas, deu para perceber aquilo que se passou no segmento de natação da prova feminina. À saída da primeira volta de natação (a partida era no pontão e para se iniciar a 2ª volta tinha que se subir novamente para o pontão, correr alguns metros e voltar a saltar para dentro de água para a próxima volta) era a Mariana Costa que seguia na frente seguida de perto por Maria Areosa, Raquel Rocha e Anaís Moniz. No entanto, na 2ª volta fizeram-se diferenças muito grandes e formaram-se duetos na frente da competição. Apenas a Maria Areosa seguia nos pés da Mariana que liderou durante todo este segmento inicial. Assim à saída da água tinhamos este primeiro dueto na frente. Atrás apareciam Anaís Moniz com Raquel Rocha e mais atrás Bárbara Clemente com Joana Marques.
Entretanto eu já estava com o fato isotérmico vestido e já tinha aquecido. Já não faltava muito para a última partida do dia. À medida que o tempo passava comecei a tentar ver qual era o melhor lugar para partir do pontão e optei por me posicionar quase de frente para a 1ª bóia que tínhamos que contornar.
Com poucos minutos para a partida todos estavam alinhados e preparados. 40 segundos e houve modificações no pontão. O João Serrano começa a correr por trás de todos, coloca-se à esquerda do pontão e Duarte Marques vai atrás dele. Eu optei por manter a posição. Aos seus lugares e eu quase que fazia falsa partida uma fez que entre este sinal e o sinal de partida houve um grande compasso de espera. Quando ouvi a buzina felizmente ainda me encontrava em cima do pontão e foi um grande alívio para mim. Entrei dentro de água e tive um a boa partida sem grande porrada. Encaixei no grupo que acabou por deixar escapar dois atletas logo na 1ª volta. Era eles Duarte Marques e João Serrano. À saída da 1ª volta eu assumi a liderança do grupo e ainda apanhei 3 atletas que estavam em posição intermédia e estava agora na 3ª posição.
Foi neste lugar que saí da água e estava bem próximo do duo da frente. Com uma boa transição, demorei cerca de 1,5km a colar ao duo da frente com quem fiz uma volta.
Ao final de uma volta, já se tinham juntado a nós mais 3 atletas - João Pereira, João Amorim e Miguel Arraiolos - e ao fim de 3 voltas mais um grupo algo numeroso com Pedro Gomes, Ruben Costa e outros. Durante o segmento de ciclismo, deu para perceber como estava a prova feminina. Na frente estava a Mariana e a Maria. Nas restantes posições, as atletas femininas seguiam todas sozinhas e de todas elas quem seguia com um ritmo mais interessante era a Bárbara Clemente.
O restante ciclismo foi calmo apesar de eu tentar mexer qualquer coisa na subida que a prova tinha em cada volta, mas a minha intenção acabou por não resultar. Assim, chegávamos todos juntos ao parque de transição e a decisão estava adiada para os 10km finais.
Acabei por não fazer uma má transição, mas já isso não se pode dizer do segmento de corrida final. Quando comecei a correr, vi logo que não estava nada famoso. Não consegui sair rápido do parque de transição e não consegui apanhar a cola de um grupo que se formou e que me poderia ter ajudado muito pelo menos na fase inicial do segmento de corrida que era uma enorme recta contra o vento. Enfim, posto isto fui sozinho, mas eu tinha a noção que estava a correr muito lento. Sem conseguir pelo menos progredir por pouco que fosse durante a corrida, acabei por seguir practicamente sempre á mesma velocidade. Não sei o que aconteceu, não sei o que poderei ter feito mal, mas o que é certo é que aquela corrida não foi nada boa.
Ultimamente a corrida andava-me a sair bem e durante a bike eu estava-me a sentir bem e pensava que iria conseguir correr forte. O que é certo é que isso não aconteceu. Alimentei-me bem, treinei bem e descansei bem. Acho que não poderia ter feito mais. Mas pronto, já está já está. Assim, fui ainda passado pelo José Veiga que vinha no grupo de trás e terminei a prova na 11ª posição. Quem ganhou a prova foi o Duarte, 2º posição para João Pereira e a fechar o pódio ficou o Ruben Costa.
Na competição feminina, Maraina Costa venceu, seguida de Maria Areosa e Bárbara Clemente. Os novos Campeões Nacionais de Triatlo são Duarte Marques e Mariana Costa. Quanto a mim, com esta prova menos conseguida, acabei por falhar o pódio que parecia à partida da final ser um objectivo fácil. Tal não se verificou e acabei por ficar na 4ª posição, que acaba por não ser um mau resultados, mas que pronto...
Agora, estou num período de transição, o que significa que estou a baixar progressivamente o volume e intensidade de treino para começar a próxima com muita vontade e determinação.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Setúbal - 3ª Etapa Camp. Nac. Individual

Já estava mais que na hora de vir aqui escrever alguma coisa, sobre a última prova que fiz e que já foi à cerca de uma semana e meia. O ano passado, não tinha participado no Triatlo de Setúbal visto que estava lesionado, mas este ano estava tudo ok. Cheguei ao local da prova com bastante tempo o que me permitiu fazer as coisas com bastante calma. Depois de fazer o check-in fui vestir o fato isotérmico. A temperatura da água era de 20ºC segundo as medições, o que significava que podíamos, ou não usar fato isotérmico. Dada a distância da prova, como é evidente todos os participantes optaram por usar fato isotérmico. Entrei para a água para fazer o aquecimento, fui perto da primeira bóia e voltei, quando cheguei ao local de partida esperei um pouco e depois alinhei para a partida. Ao meu lado estava o João Serrano - SR Camarnal.
Natação:
Para mim foi a natação mais rápida do ano. O Serrano arrancou muito forte e eu não consegui seguir o seu ritmo. Restava-me tentar encaixar em alguém, ou se fosse necessário, ser eu a puxar. Inicialmente encaixei num grupo restrito, mas o ritmo parecia-me fácil e "espreitei" para ver os restantes atletas. Já seguiam 3 atletas na frente e o meu grupo tinha de nadar mais rápido, senão íamos perder muito tempo. Assim tomei as rédeas e fui para a frente puxar. Ao final de uma volta das duas que compunham o segmento de natação, apanhei o João Pereira - Alhandra Sporting Clube que seguia numa posição intermédia entre os dois grupos. O resto da natação foi feita nos pés do atleta do Alhandra. Assim, no final do segmento inicial eu estava na 4ª posição na companhia do João e do Bruno Pais - Sport Lisboa e Benfica.
Ciclismo:
Perdi algum tempo na transição e o Bruno Pais e o João Pereira ganharam-me metros importantes.Quando montei na bike eles acabaram por esperar por mim, até que que recuperasse o tempo perdido na transição para formar-mos um trio na perseguição. Na frente seguiam o João Serrano, Duarte Marques - Águias de Alpiarça e Vasco Pessoa - Clube de Triatlo do Fundão. Ao fim de uma volta, a diferença estava anulada, muito por trabalho do Bruno e do João Pereira, já que eu não consegui ajudar aquilo que pretendia. Assim, por esta altura eramos 6 atletas na frente da prova. Na altura da junção o João Pereira destacou-se ligeiramente e acabou por "fugir" definitivamente. A perseguição não se iniciou imediatamente e talvez tenha estado aí o erro. O João foi ganhando tempo e à chegada à 2ª transição tinha cerca de 2min de vantagem, que lhe dava muita margem para o segmento de corrida final.
Corrida:
Entrei em 2º do grupo no parque de transição e acabei por fazer uma transição razoável. Na frente do nosso grupo saía o Bruno Pais seguido do Duarte Marques. Mais atrás vinha Vasco Pessoa e eu logo no seu encalce. Na 6ª posição (contando com o João Pereira) saía o João Serrano.
Com um segmento de corrida muito exigente e com dificuldades logo nos metros iniciais de cada volta, encontrei o meu ritmo. Na frente da corrida as coisas estavam iguais aquando da saída do parque de transição, mas agora as diferenças eram maiores.Eu perdia tempo para os atletas que seguiam à minha frente e atrás de mim, ao João Serrano acontecia a mesma coisa. No entanto, vinham atletas do grupo de trás a correr muito bem e a recuperar tempo. Já na última volta, o atleta do Sporting Ruben Costa aproximava-se perigosamente de mim e já tinha passado o Serrano. Na entrada para a recta que antecedia a pequena recta da meta já estava muito próximo e eu previa uma chegada ao sprint. Tentei forçar o ritmo, mas não "gastei" tudo porque poderia ser necessário para o sprint. Ao chegar à última curva o Ruben já estava muito perto. Tendo a vantagem de me encontrar à frente, dei a última curva toda por dentro e para ser passado, tinha de ser por fora. Quando entrei na recta da meta o Ruben estava mesmo atrás de mim e eu tinha que sprintar se queria manter o meu lugar. Foi isso que fiz. Sprintei e consegui manter o meu 5º lugar, que me davam pontos importantes para o Campeonato Nacional Individual.
Contas finais (Top 10):
1º - João Pereira - Alhandra Sporting Clube
2º - Bruno Pais - Sport Lisboa e Benfica
3º - Duarte Marques - Águias de Alpiarça
4º - Vasco Pessoa - Clube de Triatlo do Fundão
5º - Hugo Ventura - Clube Olímpico de Oeiras
6º - Ruben Costa - Sporting Clube de Portugal
7ª - José Veiga - Clube Olímpico de Oeiras
8º - João Amorim - Alhandra Sporting Clube
9º - João Serrano - SR Camarnal
10º - Alberto Gonzáles - COMPEED Tri-Oeste
P.S.: Fotografias: Victor Carapelho

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Campeonato do Mundo - Budapeste

Vai ficar na minha memória, esta que foi a minha última representação Internacional como atleta júnior. Foi em Budapeste que tudo aconteceu. Depois de um estágio de 21 dias em altitude, parte da comitiva viajou de França e outra parte de Portugal. Os dois grupos chegaram à Hungria na quarta-feira à tarde e nesse dia ainda deu tempo para dar um trote e conhecer os arredores do local onde estávamos hospedados. No nosso hotel tivemos direito a excelentes condições, inclusivamente a uma piscina de ondas que se pode vislumbrar na imagem.
Climatéricamente não estava como como esperávamos. Apesar de não estar frio, chovia o que acaba sempre por ser desagradável. Nos restantes dias, as condições mantiveram-se e no sábado já era dia de competições. Competiam em primeiro lugar os para-triatletas, onde Portugal estava representado através do Pedro Basílio, de seguida as Sub-23 femininas (Bárbara Clemente), Elites Masculinos (Bruno Pais, João Silva, João Pereira e Duarte Marques) e ainda os Sub-23 masculinos (Miguel Arraiolos, Vasco Pessoa e Pedro Palma). Choveu bastante pela manhã e isso condicionou muito a prova da Bárbara, que foi obrigada a desistir depois de ser dobrada. Para as provas da tarde, a chuva cessou, mas o piso mantinha-se perigoso e escorregadio a juntar ao difícil percurso de bike. Nos Elites Masculinos João Silva foi 4º classificado e ascendeu à 5ª posição final no Campeonato do Mundo. O 12º classificado em Budapeste foi o Bruno Pais que venceu o melhor "ciclista" do pelotão de 2010, no final de todas as etapas. Os restantes portugueses foram João Pereira e Duarte Marques, respectivamente 35º e 59º. Mais tarde competiram os Sub-23 masculinos. Miguel Arraiolos foi 49º, Vasco Pessoa 59º e Pedro Palma desistiu depois de sofrer uma queda.
Chegou domingo, que era o dia da minha prova. Ao acordar tive logo uma agradável surpresa. Estava um dia espectacular e o Sol brilhava em Budapeste. As ruas estavas praticamente secas e estavam reunidas todas as condições para ser um agradável dia de prova. Maria Areosa foi a primeira a entrar em acção e terminou a prova na 54ª posição (Elites femininas). Seguiu-se Mariana Costa nas júniores femininas (34ª).
A prova final destes campeonatos era a prova de júniores masculinos. Os portugueses à partida eram juntamente comigo, o João Serrano e o Miguel Fernandes. 26 era o meu número. Depois de fazer todos os check-in e preparar-me para a prova, dei por mim alinhado com todos os outros atletas. Momentos depois começaram a fazer a chamada e rapidamente chegou o meu nome e comecei a correr para o meu lugar. Muita concentração e visualização. "Take your marks" e partida. Restava-me dar tudo o que tinha e fazer a melhor prova que conseguisse. A partida não foi famosa, mas com uma boa natação saí encaixado no 1º grupo de bike. Este segmento foi muito forte, provado isso pela média que vi no meu conta-quilómetros no final da prova: 41,7km/h...
Mantive-me bem encaixado no grupo e à entrada para o parque de transição, estava nos 5 primeiros atletas. ´Só faltavam 5km para mostrar aquilo que valia. Devo ter saído do parque talvez em 10º. Inicialmente fui passado por bastantes atletas. A certa altura lembro-me de ouvir o Sérgio a dizer-me que ía em 20º. Acaba por não ser um mau lugar, mas eu não estava satisfeito e sabia que dava mais. Forcei e consegui começar a correr mais rápido. Com isto iniciei a minha recuperação e ascensão na classificação. Eu ía passando por eles e eles iam ficando o que, naturalmente me deu um ascendente psicológico. A certa altura já estava na 9ª posição e faltava cerca de 1km para o final. Nesse quilómetro final acabei por ser passado por 1 atleta Canadiano e no sprint final perdi com um Dinamarquês. Resultado Final: 11º lugar, que me deixa extremamente feliz e que "Fecha com chave de Ouro" a minha participação no escalão júnior.
Aproveito para agradecer a todos os que me apoiaram e especialmente aos meus pais que fizeram um esforço suplementar e deslocaram-se até Budapeste para me ver a competir. Tenho a certeza que valeu a pena. MUITO OBRIGADO...

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Font Romeu - França

Como muitos sabem, estou a estagiar em altitude como preparação para o Campeonato do Mundo de Triatlo a realizar entre os dias 8 e 12 de Setembro de Budapeste. Já passaram mais de duas semanas e devo dizer que gosto muito de treinar aqui. É claro que tenho saudades de casa, família e tudo mais. Se me perguntassem se não preferia estar em Portugal e ir à praia todos os dias, aquilo que eu responderia era que sempre quis estar a fazer este estágio e estou feliz por isso e acima de tudo estou a fazer aquilo que gosto.
Desde o dia que chegámos que as coisas têm corrido bem. O tempo tem estado 5 estrelas, de tal forma que ainda só usei roupa de verão. O grupo de treino agora é mais restrito, já que a selecção de Sub-23 foi-se embora poucos dias antes da competição em Gaia e hoje saiu a selecção de Duatlo que vai participar no Campeonato do Mundo este fim de semana em Edimburgo e também o Krepe (Pedro Gomes) em direcção a Guadalajara para mais um triatlo longo. Mas as alterações não ficam por aqui. Ainda hoje vão chegar mais 3 pessoas para compensar de certa forma as saídas. São eles o João Silva, João Pereira e treinador Sérgio Santos.
Mudando de assunto, partilho agora com vocês a vista do meu quarto, que é espectacular.
Conseguimos ver a pista, onde fazemos treino intervalado de corrida e montanhas por trás que agora estão sem neve e conseguem-se vislumbrar perfeitamente.
Outro ponto que deve ser aqui referido são os treinos, que têm corrido bem com todo o grupo muito empenhado. Sessões de natação bem duras, treino de séries na pista e também na estrada em cima da bike. Depois, no final dos treinos, temos as refeições. Enquanto era ainda Agosto o pequeno-almoço era tomado aqui no complexo e as duas restantes refeições num restaurante reservado para o pessoal aqui do centro de estágio. Agora que é Setembro e as aulas começaram, as refeições são todas no complexo. Já que falamos em refeições, tenho aqui umas imagens engraçadas para verem.
A vida da montanha pode ser muito boa, principalmente nos dias em que o sol resolve dar uma ajudinha.
Agora: "Quem consegue comer um pudim em 2 seg?" A resposta não vem a seguir no próximo vídeo.

video

Tal como eu disse, a resposta não vinha no vídeo, porque não consegui "aspirar" o pudim todo apesar de o ter engolido logo. O Bruno Pais não tem adversários. Tem 100% de eficácia. Neste momento não tenho imagens que o provem, mas brevemente vou ter e nessa altura logo as publico. =P
Bem já chega de paleio, por enquanto fica o que está e ainda cá regresso antes de embarcar para Budapeste onde irei realizar o meu último Campeonato do Mundo no escalão júnior. Para o ano já sou Sub-23 e passou num instante...

sábado, 21 de agosto de 2010

VeloFitSystem

Cheguei à dias a Font-Romeu (França), para preparar o Campeonato do Mundo de Triatlo. Este local é escolhido todos os anos para preparar provas de elevada importância e este ano não foi excepção. Já cá tinha estado em 2008 e voltei agora para preparar aquela que vai ser a minha última prova internacional no escalão júnior. Desde então, parece estar tudo na mesma, mas devo dizer que estou a gostar muito de cá estar. Nesta altura os treinos ainda não apertaram, já que estamos a fazer ainda a "aclimatização", como diria um alpinista (espero não estar a dizer asneira).
Bem, mas o que me trouxe aqui foi outro assunto, tal como se pode depreender pelo título. Já devem ter reparado que a coluna da esquerda desta página, alterou-se ligeiramente no local dos sponsors. Agora está lá também VeloFitSystem.
Dias antes de viajar para aqui tive oportunidade de fazer um teste à minha posição na bicicleta, para verificar medidas, ângulos e tudo mais. Quem me fez o teste foi o António Facão que podem reconhecer em alguns posts que faço relativos a voltas de Domingo. Ele e o irmão gémeo dele, Élio, tiraram um curso nos Estados Unidos com a pessoa que faz estes testes à equipa do Lance Armstrong - Team Radio Shack. Assim e a convite do António, fiz o chamado Fit. Com este teste conseguimos optimizar a posição em cima da bicicleta consoante o nosso objectivo por forma a termos um desempenho o mais elevado possível. Foi isso que o António me fez. No fim de realizar o teste e fazer as devidas alterações fiquei com a certeza que estava bem sentado. Um dia se quiser optimizar a minha posição em cima da minha bike de BTT, já sei a quem recorrer e sei que o trabalho fica bem feito. Muito Obrigado António, bem haja.
P.S.: Para eventuais interessados, o nºdo António é: 965775866

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Espectacular

Bem, já passaram quase duas semanas desde a última vez que cá passei. Nessa altura fiz aqui um recordar Aveiro- S. Pedro do Sul, já que se aproximava mais um convívio. E assim foi, no Domingo dia 25 de Julho lá foi o grupo de bike fazer mais uma etapa de montanha. Mais uma vez fomos fazer o já habitual Aveiro - Tourigo. Já o ano passado o tínhamos feito e desta vez com algumas alterações de organização apesar do percurso ser igual, aquilo que tenho a dizer é ESPECTACULAR...
Partimos do Knock-Out health club com um dia óptimo para a prática desportiva. Partimos cedo para aproveitarmos tudo ao máximo, quer o tempo em cima da bicicleta, quer depois à chegada e resto do dia. Para não variar a equipa era forte apesar de algumas baixas, não por desistência mas por motivos justificados. Sim, porque para se falhar a um acontecimento destes, tem de ser muito bem justificado.
Durante o percurso, passámos pela Palhaça, direcção a Águeda e chegados ao seu centro (fotografia), uma subida "soft" para aquecer o motor passando por Bolfiar, de seguida uma descida com cerca de 3kms e depois é que era a subir a sério. Passando a ponte, começavam os 22kms a subir, com cerca de 12kms iniciais, 1km a descer e depois mais 9kms a subir com a inclinação a aumentar um pouco. Como tínhamos uma equipa muita grande de apoio, durante o percurso foram tiradas muitas fotografias.
Nesta foto que foi tirada ainda nos 12kms iniciais de subida, eu seguia na frente com o João Moreira que era o camisola amarela. No mesmo local, o Henriqe passou folgado e fez um cavalinho que foi apanhado pela minha máquina fotográfica, que estava nas mãos da minha mãe claro.
Atrás do Henrique vai o Zé Miguel a beber do bidon e atrás vai o meu pai.
Chegados ao topo da subida, como é habitual juntámos todos e claro, a foto da praxe. Antes disso ainda deu tempo para fazer o vídeo.

video

Da esquerda para a direita: Paulo Pires, João Santarém, Zé Miguel com a sua filha Inês, um senhor que eu não conheço, mas que se juntou connosco a meio do percurso, António e Élio Facão, o Pai do João Moreira, o João Moreira, Eu, o meu Pai, João Miguel, Henrique Graça com o filho Samuel, Ferrão, mais um senhor que se juntou a nós, Samuel, Esposa do Barbosa, sobrinho do Barbosa, Barbosa e os restantes 3 que também se juntaram ao grupo. Em baixo, Silvia, Esposa do Zé Miguel, Mãe do João Moreira, a minha Mãe, Xana (namorada do João Moreira), Vanessa (namorada do João Miguel) e por fim a Gorete que é a Esposa do Henrique.

De seguida descemos até Campo de Besteiros e daí até ao final era um tiro. Passados cerca de 90kms duros de serra chegámos ao Tourigo que é a Terra dos meus avós. Lá esperava-nos uma piscina onde podíamos refrescar e conviver à vontade. Entretanto estava a ser preparada uma patuscada, que iria ser o nosso almoço e petisco durante todo o resto do dia.
Almoçámos e no final cantámos os parabéns a duas pessoas que tinham feito anos no dia anterior. Eram eles o João Moreira e o Zé Miguel.

Nesta foto dá para ver alguns dos atletas e acompanhantes. Na 1ª linha o Henrique, Gorete e minha mãe. Atrás, Élio e esposa, António Facão (irmão gémeo do Élio com a sua sobrinha Maria) e João Miguel. Atrás consegue-se ver ainda a esposa do Barbosa.

A tarde prolongou-se, lanchou-se e lá para o final do dia, carregámos as coisas e regressámos a casa. Foi um dia muito bem passado e foi espectacular... Obrigado a todos.

sábado, 24 de julho de 2010

Recordar Aveiro - S, Pedro do Sul

Visto que estamos (eu e o meu grupo de treino de bike que tenho em Aveiro) muito perto de mais uma etapa interessante, está na altura de recordar com algumas fotografias aquilo que aconteceu na nossa última etapa que teve o seu inicio em Aveiro e final em S.Pedro do Sul.
Encontro no local do costume - Knock-Out Health Club - para saída às 08h30. Esta foi a malta que alinhou e que evidentemente lá chegou, tal como à partida todos juntos. Somos um grupo muito unido e por isso nunca se larga ninguém...
Pelo caminho apanhámos grandes dificuldades com subidas muito longas e inclinadas e que não foram nada fáceis de ultrapassar.
À chegada a malta conferenciava e partilhava as experiências, sensações e tudo mais.
No final, tal como no inicio, a fotografia da praxe.
Da esquerda para a direita:
David Homem, Paulo Pires, João Miguel, Salgueiredo, Henrique e o seu filho Samuel, Hugo Ventura (eu), Luís Ventura, João Moreira, António Barbosa, João (Beginner), Nuno e Samuel...
Esta tirada foi espectacular e espero que a próxima seja tão boa ou melhor.
E quando é que é a próxima? É já amanhã. Partida do Knock-Out e chegada no Tourigo, que é a terra dos meus avós. Quando lá chegarmos teremos uma bela piscina ao ar livre à nossa espera para refrescar já que estará muito calor (pelo menos é o que a previsão diz).
Bom, nos próximos dias naturalmente regressarei aqui ao meu blog para vos contar como foi. Pelo caminho espero que quem nos vai acompanhar de carro tire fotografias para eu puder fazer a reportagem com imagens. Vou tentar fazer um filme
Abraços e até amanhã ou assim... =D

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Aveiro - Camp. Nac. Clubes

Venho um bocado atrasado mas ainda a tempo de relatar como foi a manhã de domingo com o Campeonato Nacional de Clubes a ser disputado mais uma vez em Aveiro no mesmo formato do ano passado. Eu representei o mesmo clube (Clube Olímpico de Oeiras) e apesar da equipa ter sido ligeiramente diferente fui mais uma vez o segundo elemento da estafeta.
No parque de transição as equipas ficam juntas.
Mais de 60 equipas alinharam à partida, desta feita e ao contrário do que se tinha passado no dia anterior, com partida para a água com salto (dado o número de atletas que partiam). da minha equipa, o 1º elemento era o José Veiga. À saída da água integrou o 2º grupo quando seguiam na frente o Clube de Triatlo do Fundão e o Alhandra por intermédio de Vasco Pessoas e Fabrício Tomás respectivamente. No final do 1º triatlo (digo assim porque cada elemento realiza 1 triatlo nas distâncias 300m - 8km - 2km) O Meu colega de equipa entregava-me o "testemunho" na 5ª posição, depois do Alhandra, Fundão, Sporting e TriOeste.
Parti para o meu segmento inicial e senti um bocado o desgaste do dia anterior, mas forcei sempre e recuperava uma posição ainda dentro de água, e saía em posição de recuperar mais algumas posições.
Assim foi, impus um ritmo rápido na bike que deixava o Diogo Custódio em representação do Sporting para trás e apanhava o Hugo Alves (Clube de Triatlo do Fundão). Com isto já estava a cerca de 15seg do atleta da frente (João Amorim - Alhandra), mas acabei por perder algum tempo a meio do segmento de ciclismo, já que sofri um "stop and go" (para quem não sabe um "stop and go" consiste na paragem [neste caso da bike], colocação de um pé no chão e retomo quando o árbitro o indicar).
Com tudo isto cheguei à transição com o Hugo Alves e mais atrás vinha o Diogo Custódio. No segmento de corrida o Hugo Alves foi mais rápido e o Diogo passou-me já quase no final. Assim eu entregava na 5º posição ao meu colega Miguel Fernandes, já que fui também passado pelo Miguel Arraiolos.
Quanto ao Miguel, fez uma natação muito forte e apanhou o grupo que perseguia o João Pereira do Alhandra que seguia isolado. Assim, no ciclismo, o grupo manteve-se sempre junto (Olímpico de Oeiras, Alpiarça e Sporting) e a decisão ficava para a corrida. Neste particular o Miguel esteve muito bem, como é seu hábito na corrida e deu ao Olímpico de Oeiras o 2º lugar absoluto e 1º no escalão de Júniores. A vitória ficou para o Alhandra e o 3º lugar para o Sporting.
Aqui o pódio absoluto
No final, a foto da praxe daquela que foi a equipa principal do Clube olímpico de Oeiras.
E foi assim, um fim de semana cheio de Triatlo em Aveiro, que já começa a ter uma reputação excelente a nível Nacional e quem sabe não venha a receber no futuro uma prova de cariz Internacional.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Triatlo de Aveiro 2010

Como já devem ter reparado, as duas provas que tinha na minha barra lateral onde diz "Próximas Provas" já desapareceram e ainda não coloquei nada lá porque ainda não sei quais vão ser as provas futuras. Mas, se elas desapareceram é sinal que já as fiz e foi neste fim de semana que passou, dias 17 e 18 de Julho.
Era altura de competir mais uma vez em casa com o Triatlo de Aveiro que nos últimos anos tem vindo a ser realizado. À semelhança daquilo que aconteceu o ano passado, Aveiro acolheu duas das provas mais importantes que se realizam em Portugal. No sábado, a 2ª etapa do Campeonato Nacional Individual e no domingo o Campeonato Nacional de Clubes.
Sábado:
Para mim, era uma prova muito importante em todos os sentidos. Em primeiríssimo lugar estava a competir em casa e apesar de dar sempre o meu melhor em todas as provas que participo, competir em casa é sempre uma responsabilidade acrescida. Muitas pessoas a apoiarem-me que me deram muita força. Confesso, acho que nunca tinha ouvido tantas vezes o meu nome numa prova de Triatlo. Aproveito já a oportunidade para agradecer a todas as pessoas que o fizeram. Depois, para além de estar a competir em casa, como falhei a 1º das 4 etapas que compõem o Campeonato Nacional Individual (apenas contam as 3 melhores), restavam-me 3.
Muitos atletas à partida mais uma vez na Ria de Aveiro junto ao Centro Cultural e de Congressos. Antes de suar a buzina tentei posicionar-me o melhor possível para tentar fugir à grande confusão e consegui. Com isto não apanhei porrada nenhuma e coloquei-me na 3ª posição. À medida que os metros foram passando senti-me cada vez mais confortável e acabei por passar para a 2ª posição (aí por volta dos 1.000m, que correspondia ao 1º elemento do grupo que perseguia o João Serrano, que desde cedo se destacou na frente. Com isto, no final do segmento, o Serrano era com alguma naturalidade o 1º atleta e eu seguia na 2ª posição a pouco mais de 30seg com alguns atletas nos meus pés.
Quando saí da água tentei fazer uma transição muito rápida para ser o 1º do grupo a sair do parque e acabei por conseguir o que me dava uma maior facilidade e liberdade para tentar descolar alguns atletas logo nos metros iniciais em cima da bike. Assim foi, o João Amorim que montou para a bike na minha roda acabou por descolar logo na 1ª subida e eu ficada isolado na 2º posição, mas já com o João Serrano na mira. Num dos pontos de retorno ao cruzar-mo-nos combinamos juntar-nos e trabalhar juntos. Assim foi, a meio da 1ª das 6 voltas de bike apanhei-o e seguimos juntos para tentar-mos a fuga. Entretanto atrás de nós o grupo partia e fomos apanhados por dois atletas: o Pedro Gomes e o Pedro Palma. Após a junção, seguimos os 4 até ao final da bike altura em que tínhamos cerca de 3min de vantagem para o grupo perseguidor.
Faltavam agora 10km de corrida final. Do grupo o grande favorito era mesmo o Pedro Palma mas não nos podíamos esquecer dos atletas que seguiam atrás de nós, entre eles Miguel Arraiolos e Ruben Costa, ambos bom corredores.
Quando comecei a correr, percebi logo que estava bastante cansado e que ia ser uma corrida sofrida. Confirmou-se. Não corri ao nível daquilo que consigo fazer e isso fez-me perder bastante tempo para o atleta da frente, Pedro Palma que confirmava o favoritismo. 2º era Pedro Gomes, 3º Serrano e 4º eu. Do Grupo de trás, o Miguel Arraiolos aproximava-se de forma perigosa, acabando mesmo por me passar na 3ª das 4 voltas do segmento final. assim eu caía para o 5º posto e não estava a conseguir acelerar e recuperar tempo para os da frente.
À entrada para a última volta, subitamente consigo aumentar bastante o ritmo e começo a aproximar-me muito do atleta que agora seguia no 4º posto. Era ele o João Serrano, que já tinha sido passado pelo Miguel Arraiolos, ainda na 3ª volta. Consegui aproximar-me muito e recuperei na última volta cerca de 45seg, mas não foram suficientes para passar o 4º classificado do qual fiquei no final da prova a apenas 8seg.
Resultado final: 1º Pedro Palma, 2º Pedro Gomes, 3º Miguel Arraiolos, 4º João Serrano e 5º Hugo Ventura (eu).
Nos Júniores, João Serrano em 1º, 2º para mim e 3º para o João Amorim.
No dia a seguir, mais uma prova, desta feita o Campeonato Nacional de Clubes, que se disputa no formato de estafetas, em que cada atleta dos 3 que compõem a equipa realiza um super-sprint. Mas para relatar esta prova passo por cá amanhã.
Importante também referir o trabalho das autoridades na segurança da prova. Aqui dois agentes da PSP meus conhecidos. Do meu lado direito, Raúl Lemos e do meu lado esquerdo o Chefe Rato.
Mais uma vez o meu muito obrigado a todos os que me apoiam.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Domingo de manhã...

Como é habitual ao domingo de manhã há sempre treino longo de bike para fazer. Este domingo que passou não foi excepção e visto que estava em Aveiro a malta reuniu-se toda mais uma vez no local do costume: Knock-Out health club. Desta vez a partimos por volta das 08h30 visto que está calor e assim sempre dá para andar mais um bocadinho. Quando cheguei ao local penso que já estava tudo e fui conjuntamente com o meu pai e o Paulo Pires os últimos a chegar ainda que dentro da hora (acho eu =P). Com uma grande recepção por parte de todos, o meu dia já estava ganho. E pronto, no fim de tudo isto iniciámos nós a nossa volta. Direcção Cantanhede, Cadima, Tocha, Mira e depois casa. No meio da volta (ali pelos lados da Tocha), lembrei-me de fazer isto:

video

Como estava muito vento contra nesta altura, não dá para ouvir o que se ia dizendo, mas o importante é a ideia e mostrar também o pessoal com quem tenho o prazer de pedalar. A todos eles o meu muito obrigado, são mala 5 estrelas e para a semana já temos aí uma etapa bem engraçada.

terça-feira, 6 de julho de 2010

A Prova...

Tal como prometido, aqui estou eu para relatar a prova de domingo passado, dia 04 de Julho de 2010.
35 era o meu número, no meio de um pontão cheio, com 69 júniores à partida. Como nas provas de júniores os dorsais são atribuídos de forma aleatória, o número que nos calha é aquele que temos de ocupar. E assim foi. Muita concentração antes da prova, com visualização de toda a prova e essencialmente visualização do percurso de natação. Com tudo alinhado, rapidamente se ouviu "take your marks" e logo de seguida suou a buzina.
Muita confusão claro e eu apesar de não ter feito uma boa partida, acabei por ficar bem encaixado no grande grupo, que me permitiu progredir com alguma rapidez.
À saída da água era o 2º português (o 1º foi o João Serrano), estava numa posição em que não me eram permitidos erros e perdas de tempo. Tinha de fazer uma boa transição para apanhar o grupo da frente e foi isso que aconteceu. Como sabem, tenho um segmento de bike sempre muito forte e fiz-me valer dessa minha capacidade para apanhar o grupo da frente assim que pude, com um inicio muito forte. Com isto, ficaram alguns adversários para trás e ao final da 1ª das 4 voltas de bike, o grupo da frente já estava formado e tinha cerca de 15 atletas onde eu me inseria e era único português. No grupo de trás, com cerca de 5 unidades seguia o Miguel Fernandes que acabaria por ser absorvido pelo grupo do João Amorim e Fabrício Tomás. Quanto ao João Serrano, sofreu um furo a meio da 1ª volta, trocou de roda na weel stop e no final da mesma volta voltou a furar. Sem dúvida um dia de azar para ele o que fez com que depois da 2ª troca da roda traseira ficasse no último grupo da prova.
As bikes continuavam em andamento e o meu grupo cavava segundos para os perseguidores e ao longo dos 20kms amealhou cerca de 1min10seg, vantagem com que entrámos na 2ª transição. Agora era dar tudo para conseguir o melhor lugar possível.
Acabei por perder alguns metros no parque (embora não muitos) para alguns elementos e tentei sair forte sem perder referências. Assim foi. Mantive sempre alguns atletas na minha mira e durante o percurso acabei por conseguir passar um alemão. Tinha recuperado uma posição, mas logo de seguida fui passado por um italiano do grupo de trás (era só o Campeão do Mundo de Duatlo =P) e portanto, voltava a ocupar a mesma posição da classificação geral. Já nos metros finais aproximava-me de um outro italiano que tentei alcançar, mas com a meta já à vista foi impossível.
Resultado final: 12º lugar, que faz dele a minha melhor classificação enquanto júnior no ano em que termino a minha prestação em Campeonatos Internacionais neste escalão. Quanto ao resto dos portugueses. Miguel Fernandes foi 26º, Fabrício Tomás 31º, João Amorim 46º e João Serrano 62º.
Já de regresso a Portugal, segue-se o meu 1º Triatlo Olímpico da época a realizar na Minha Terra no fim de semana de 17 e 18 deste mês. Sábado 17, Aveiro recebe a 2ª etapa do Campeonato Nacional Individual e domingo 18, o Campeonato Nacional de Clubes nos mesmos moldes do ano passado. Até lá, resta-me treinar...
Fotografias: Paulo Gonçalves

Atlhone - Irlanda

Bem, não foi muito o meu objectivo divulgar aqui no meu blog a minha participação no Campeonato da Europa deste ano, embora grande maioria das pessoas o soubesse. Esta minha escolha tem toda ela uma explicação. Durante a minha curta carreira desportiva, já venci muitas vezes, mas também já levei muitas chapadas que me fizeram aprender e muito. Foi por tudo o que se pode retirar desta última frase que decidi manter-me "afastado" e limitar-me sim, a fazer aquilo que costumo fazer com mais regularidade aqui, que é a reportagem daquilo que aconteceu da prova, com a minha vivência e opinião. Tudo isto não significa de modo algum que não tivesse objectivos traçados na minha mente. É claro que eles existiam, eu apenas não os queria tornar públicos, partilhando-os apenas com as pessoas em quem posso confiar verdadeiramente: os meus PAIS. E foi assim que o fiz. Conversei muito com eles e deram-me muita confiança e vontade de vencer, fazendo-me acreditar ainda mais em mim.
Hoje, venho aqui, não para relatar já a prova, mas sim para falar um bocado dos momentos que a antecederam. Palavras para a prova em si, ficam para amanhã, altura em que passarei aqui para contar como foi.
A deslocação da selecção Nacional de Júniores (onde me incluo), partiu na 5ª feira do aeroporto de Lisboa rumo a Frankfurt. Depois de uma escala no aeroporto prolongada rumámos até Dublin já juntamente com a Selecção Nacional de Elites, que entretanto se encontrou connosco, vindos de treinar em altitude. Descanso no hotel, para nos dias seguinte fazermos devidamente a nossa aproximação à prova. Assim foi, tudo correu pelo melhor com tremenda organização por parte dos dirigentes e técnicos e no dia da prova, estávamos todos prontos. Era chegado o momento em que todos tínhamos de mostrar o que estávamos a valer. Quanto a mim, estava certo que me tinha preparado convenientemente e que estava pronto para dar o meu melhor. Antes da prova, como é habitual fazer quando os meus pais não estam presentes, uma chamada para falar com cada um deles. São momentos em que fico tranquilo. Cada um deles me diz coisas diferentes, mas todas elas importantes. Desta feita como era domingo, o meu pai (pessoa com quem falei 1º) estava a dar a sua volta de bike. Parou, falou breves instantes comigo e desejou-me boa sorte ainda com umas palavras também elas de boa sorte por parte do Henrique, que é um grande amigo e que estava nesse dia a pedalar com o meu pai, aliás como faz todos os fins-de-semana (vocês, já vão conhecendo a malta de quem eu tenho prazer de falar aqui publicamente no meu blog). A mim restava-me agradecer aos dois e retribuir com palavras como "bom treino" e "vou dar o meu melhor". De seguida liguei a minha mãe. Falei o máximo de tempo possível (assim como fiz com o meu pai) e durante a conversa fui-lhe respondendo a perguntas que me fazia essencialmente acerca da disposição como me encontrava. "Sentes-te bem", "Estás muito nervoso?" e coisas deste género. Estava na hora de desligar, vestir o fato isotérmico e preparar para a prova. Agora sim, estava preparado e concentrado a 100% para fazer a prova, que até ao momento era a prova mais importante da minha época, o Campeonato da Europa de Triatlo de Júniores, que se realizaram na pequena cidade de Atlhone - Irlanda.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Triatlo de Oeiras

Bom, já venho um pouco atrasado, mas venho sempre a tempo de dizer alguma coisa sobre aquilo que aconteceu no passado domingo. Foi o Triatlo de Oeiras, prova pontuável para a Taça de Portugal e que desta feita já não era prova de apuramento para o Campeonato da Europa de júniores, uma vez que a selecção em causa já estava definida. A última vez que fiz este Triatlo foi em 2007 e digamos que foi aquele Triatlo que me mandou para este Mundo em que vivo agora: o Triatlo. Nesse ano fui o 1º a sair da água, integrei uma fuga com o João Amorim e acabria por terminar na 3ª posição absoluta, que me enviou directamente para a equipa principal do Campeonato da Europa de Juvenis por estafetas desse ano que se realizou em Kuopio na Finlândia.

Bom, relativamente a este ano como esperado as coisas foram bastante diferentes. Tudo começou com uma natação muito rápida (pelo menos eu achei) o que fez com que eu descolasse alguns metros. Fui-me apercebendo que estava a perder algum tempo ainda durante o segmento inicial e chegado ao parque de transição após uma longa corrida desde a praia é que consegui ter ideia da real distância. Era uma diferença difícil de recuperar. Seguiam 3 atletas na frente. Após uma transição que não foi perfeita, saí do parque completamente a dar tudo e apanhei alguns atletas. Mas eu neste dia não queria andar em grupo porque sabia que iria ficar prejudicado. Tinha de o fazer sozinho por muito que me custasse. Foi então que ainda antes dos 2km iniciais deste segmento decidi atacar numa pequena inclinação em Sto. Amaro de Oeiras. Consegui deixar para trás os 4 atletas que então seguiam comigo e a partir daqui era uma luta solitária e em contra-relógio contra os 3 atletas da frente. Entretanto apanhei o Pedro Mendes que tinha descolado do João Serrano e João Amorim (agora o duo da frente) que acabaria também por não me conseguir seguir. Aos 12kms apanhei o duo da frente e seguimos juntos até ao parque de transição, onde fui o 1º a entrar.

Inicio do segmento de corrida final, acabei por ser o 3º a iniciá-lo, já que a minha transição não foi famosa e segui agora atrás dos outros dois atletas. Perdi o contacto logo ao inicio e acusei realmente o cansaço do esforço despendido para chegar à frente da competição. Mas fui um preço que eu preferi pagar. Agora restava-me dar o meu melhor na corrida e tentar ficar o melhor possível. Acabei por ser passado pelo José Veiga (também ele do Olímpico de Oeiras) e depois mantive a 4ª posição até final.
O vencedor foi o João Amorim, que terminou ao sprint com o João Serrano. Terceira posição para o José Veiga e 4º posto para mim.
E foi mais ou menos assim a prova que teve como vencedores de clubes, no sector feminino o Alhandra Sporting Club e no sector masculino mais uma vez o Clube Olímpico de Oeiras, que mantém a invencibilidade.
P.S: Continuo a ter boas recordações deste Triatlo. Fi-lo duas vezes e das duas vezes adorei fazê-lo.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Triatlo de Peniche

Foi no passado sábado que se disputou o Campeonato Nacional de Júniores e também o Campeonato Nacional de Grupos de Idade, que à semelhança daquilo que tem acontecido nos 2 anos anteriores, foi em Peniche. Uma tarde que contou com 3 provas: Aquatlo (super-sprint), Triatlo (super-sprint) e outro Triatlo (sprint). Foi precisamente nesta última competição que se disputaram os títulos que acima referi e portanto na prova em qual eu participei.
Procedimentos habituais de colocação do material necessário no parque de transição, ver as provas anteriores e chegada a hora, preparar realmente para a prova.
Aqui a vestir o fato isotérmico e como à sombra não havia bancos para eu me sentar e vestir mais facilmente, eis que o meu pai tem uma ideia brilhante.
Uma vez que se tratava do Campeonato Nacional de Júniores, estes partiram separados do resto dos participantes e dada a partida, voltei a conseguir um bom arranque o que me permitiu integrar deste início o grupo da frente. À saída da água vinha um grupo com cerca de 6 elementos.
Como o inicio da bike foi algo forte (pelo menos da minha parte) acabou por juntar na frente da competição apenas um grupo de 5 elementos: Eu, João Amorim, João Serrano, Miguel Fernandes e Vasco Pessoa. 4 júniores para 3 lugares no pódio e um sub-23. A 1ª volta foi calma e adivinhava-se um ciclismo muito táctico devido aos atletas com aspirações ao título que lá se encontravam, no entanto, nesta volta quase todos puxaram, é claro que uns mais que outros. Início da 2ª volta já não havia entendimento no grupo. Ora se não queriam puxar eu também não fui puxar. Resguardei-me durante cerca de 2-3kms já a pensar no meu 1º ataque. Tinha de ser um ataque em condições. E assim foi, na subida que antecede a chegada ao farol eu acelero muito o andamento e nem todos conseguem acompanhar. Ficou o Miguel Fernandes. Agora 4 na frente. Mas ainda faltava uma volta para o final deste segmento e com mais uma passagem por aquela subida, eu já pensava noutro ataque. Quando lá cheguei, como tinha pensado ataquei outra vez e desta feita ficou lá mais um. Desta vez foi o João Serrano que com a chegada do final deste segmento já próxima, acabou por não perder muito tempo, mas ainda assim algum. Final do segmento, entrada no parque de transição (aqui perdi algum tempo devido ao empedrado que era bastante perigoso e onde eu me cortei um bocado, para não colocar em questão a minha integridade física).
Nesta fotografia: final da 2ª volta, já só com 4 elementos na frente
Início do segmento de corrida final. Saí na terceira posição (da geral, 2º júnior) com o Vasco Pessoa e o João Amorim à minha frente, mas cedo fui passado pelo João Serrano que com a minha perda de tempo recuperava terreno. Aqui sou sincero, todo aquele trabalho que fiz na bike e que ditou que dois atletas ficassem para trás, pesou-me nas pernas. Mal comecei a correr senti as pernas "pesadas". Mas tinha de aguentar e sofrer para segurar pelo menos 0 3º lugar júnior, que era o mais importante neste dia.
Na parte final da prova, fui passado pelo José Estrangeiro que fez um segmento final de grande nível e assim relegou-me para a 5ª posição da geral, mas ainda assim 3º júnior e também 3º do Grupo de Idade 18-19 anos. E foi assim o meu último Campeonato Nacional no escalão de júniores. Para o ano a cor do dorsal já muda.
Resultados Finais Absolutos
1º - João Amorim
2º - Vasco Pessoa
3º - João Serrano
4º - José Estrangeiro
5º - Hugo Ventura
Campeonato Nacional de Júniores
1º - João Amorim
2º - João Serrano
3º - Hugo Ventura
4º - Miguel Fernandes
5º - Hugo Alves
O pódio do Grupo de Idade 18-19 anos, já que as medalhas do Campeonato Nacional de Júniores, são entregues no final da época.
Próxima prova: Triatlo de Oeiras - Domingo,13 de Junho