sábado, 24 de julho de 2010

Recordar Aveiro - S, Pedro do Sul

Visto que estamos (eu e o meu grupo de treino de bike que tenho em Aveiro) muito perto de mais uma etapa interessante, está na altura de recordar com algumas fotografias aquilo que aconteceu na nossa última etapa que teve o seu inicio em Aveiro e final em S.Pedro do Sul.
Encontro no local do costume - Knock-Out Health Club - para saída às 08h30. Esta foi a malta que alinhou e que evidentemente lá chegou, tal como à partida todos juntos. Somos um grupo muito unido e por isso nunca se larga ninguém...
Pelo caminho apanhámos grandes dificuldades com subidas muito longas e inclinadas e que não foram nada fáceis de ultrapassar.
À chegada a malta conferenciava e partilhava as experiências, sensações e tudo mais.
No final, tal como no inicio, a fotografia da praxe.
Da esquerda para a direita:
David Homem, Paulo Pires, João Miguel, Salgueiredo, Henrique e o seu filho Samuel, Hugo Ventura (eu), Luís Ventura, João Moreira, António Barbosa, João (Beginner), Nuno e Samuel...
Esta tirada foi espectacular e espero que a próxima seja tão boa ou melhor.
E quando é que é a próxima? É já amanhã. Partida do Knock-Out e chegada no Tourigo, que é a terra dos meus avós. Quando lá chegarmos teremos uma bela piscina ao ar livre à nossa espera para refrescar já que estará muito calor (pelo menos é o que a previsão diz).
Bom, nos próximos dias naturalmente regressarei aqui ao meu blog para vos contar como foi. Pelo caminho espero que quem nos vai acompanhar de carro tire fotografias para eu puder fazer a reportagem com imagens. Vou tentar fazer um filme
Abraços e até amanhã ou assim... =D

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Aveiro - Camp. Nac. Clubes

Venho um bocado atrasado mas ainda a tempo de relatar como foi a manhã de domingo com o Campeonato Nacional de Clubes a ser disputado mais uma vez em Aveiro no mesmo formato do ano passado. Eu representei o mesmo clube (Clube Olímpico de Oeiras) e apesar da equipa ter sido ligeiramente diferente fui mais uma vez o segundo elemento da estafeta.
No parque de transição as equipas ficam juntas.
Mais de 60 equipas alinharam à partida, desta feita e ao contrário do que se tinha passado no dia anterior, com partida para a água com salto (dado o número de atletas que partiam). da minha equipa, o 1º elemento era o José Veiga. À saída da água integrou o 2º grupo quando seguiam na frente o Clube de Triatlo do Fundão e o Alhandra por intermédio de Vasco Pessoas e Fabrício Tomás respectivamente. No final do 1º triatlo (digo assim porque cada elemento realiza 1 triatlo nas distâncias 300m - 8km - 2km) O Meu colega de equipa entregava-me o "testemunho" na 5ª posição, depois do Alhandra, Fundão, Sporting e TriOeste.
Parti para o meu segmento inicial e senti um bocado o desgaste do dia anterior, mas forcei sempre e recuperava uma posição ainda dentro de água, e saía em posição de recuperar mais algumas posições.
Assim foi, impus um ritmo rápido na bike que deixava o Diogo Custódio em representação do Sporting para trás e apanhava o Hugo Alves (Clube de Triatlo do Fundão). Com isto já estava a cerca de 15seg do atleta da frente (João Amorim - Alhandra), mas acabei por perder algum tempo a meio do segmento de ciclismo, já que sofri um "stop and go" (para quem não sabe um "stop and go" consiste na paragem [neste caso da bike], colocação de um pé no chão e retomo quando o árbitro o indicar).
Com tudo isto cheguei à transição com o Hugo Alves e mais atrás vinha o Diogo Custódio. No segmento de corrida o Hugo Alves foi mais rápido e o Diogo passou-me já quase no final. Assim eu entregava na 5º posição ao meu colega Miguel Fernandes, já que fui também passado pelo Miguel Arraiolos.
Quanto ao Miguel, fez uma natação muito forte e apanhou o grupo que perseguia o João Pereira do Alhandra que seguia isolado. Assim, no ciclismo, o grupo manteve-se sempre junto (Olímpico de Oeiras, Alpiarça e Sporting) e a decisão ficava para a corrida. Neste particular o Miguel esteve muito bem, como é seu hábito na corrida e deu ao Olímpico de Oeiras o 2º lugar absoluto e 1º no escalão de Júniores. A vitória ficou para o Alhandra e o 3º lugar para o Sporting.
Aqui o pódio absoluto
No final, a foto da praxe daquela que foi a equipa principal do Clube olímpico de Oeiras.
E foi assim, um fim de semana cheio de Triatlo em Aveiro, que já começa a ter uma reputação excelente a nível Nacional e quem sabe não venha a receber no futuro uma prova de cariz Internacional.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Triatlo de Aveiro 2010

Como já devem ter reparado, as duas provas que tinha na minha barra lateral onde diz "Próximas Provas" já desapareceram e ainda não coloquei nada lá porque ainda não sei quais vão ser as provas futuras. Mas, se elas desapareceram é sinal que já as fiz e foi neste fim de semana que passou, dias 17 e 18 de Julho.
Era altura de competir mais uma vez em casa com o Triatlo de Aveiro que nos últimos anos tem vindo a ser realizado. À semelhança daquilo que aconteceu o ano passado, Aveiro acolheu duas das provas mais importantes que se realizam em Portugal. No sábado, a 2ª etapa do Campeonato Nacional Individual e no domingo o Campeonato Nacional de Clubes.
Sábado:
Para mim, era uma prova muito importante em todos os sentidos. Em primeiríssimo lugar estava a competir em casa e apesar de dar sempre o meu melhor em todas as provas que participo, competir em casa é sempre uma responsabilidade acrescida. Muitas pessoas a apoiarem-me que me deram muita força. Confesso, acho que nunca tinha ouvido tantas vezes o meu nome numa prova de Triatlo. Aproveito já a oportunidade para agradecer a todas as pessoas que o fizeram. Depois, para além de estar a competir em casa, como falhei a 1º das 4 etapas que compõem o Campeonato Nacional Individual (apenas contam as 3 melhores), restavam-me 3.
Muitos atletas à partida mais uma vez na Ria de Aveiro junto ao Centro Cultural e de Congressos. Antes de suar a buzina tentei posicionar-me o melhor possível para tentar fugir à grande confusão e consegui. Com isto não apanhei porrada nenhuma e coloquei-me na 3ª posição. À medida que os metros foram passando senti-me cada vez mais confortável e acabei por passar para a 2ª posição (aí por volta dos 1.000m, que correspondia ao 1º elemento do grupo que perseguia o João Serrano, que desde cedo se destacou na frente. Com isto, no final do segmento, o Serrano era com alguma naturalidade o 1º atleta e eu seguia na 2ª posição a pouco mais de 30seg com alguns atletas nos meus pés.
Quando saí da água tentei fazer uma transição muito rápida para ser o 1º do grupo a sair do parque e acabei por conseguir o que me dava uma maior facilidade e liberdade para tentar descolar alguns atletas logo nos metros iniciais em cima da bike. Assim foi, o João Amorim que montou para a bike na minha roda acabou por descolar logo na 1ª subida e eu ficada isolado na 2º posição, mas já com o João Serrano na mira. Num dos pontos de retorno ao cruzar-mo-nos combinamos juntar-nos e trabalhar juntos. Assim foi, a meio da 1ª das 6 voltas de bike apanhei-o e seguimos juntos para tentar-mos a fuga. Entretanto atrás de nós o grupo partia e fomos apanhados por dois atletas: o Pedro Gomes e o Pedro Palma. Após a junção, seguimos os 4 até ao final da bike altura em que tínhamos cerca de 3min de vantagem para o grupo perseguidor.
Faltavam agora 10km de corrida final. Do grupo o grande favorito era mesmo o Pedro Palma mas não nos podíamos esquecer dos atletas que seguiam atrás de nós, entre eles Miguel Arraiolos e Ruben Costa, ambos bom corredores.
Quando comecei a correr, percebi logo que estava bastante cansado e que ia ser uma corrida sofrida. Confirmou-se. Não corri ao nível daquilo que consigo fazer e isso fez-me perder bastante tempo para o atleta da frente, Pedro Palma que confirmava o favoritismo. 2º era Pedro Gomes, 3º Serrano e 4º eu. Do Grupo de trás, o Miguel Arraiolos aproximava-se de forma perigosa, acabando mesmo por me passar na 3ª das 4 voltas do segmento final. assim eu caía para o 5º posto e não estava a conseguir acelerar e recuperar tempo para os da frente.
À entrada para a última volta, subitamente consigo aumentar bastante o ritmo e começo a aproximar-me muito do atleta que agora seguia no 4º posto. Era ele o João Serrano, que já tinha sido passado pelo Miguel Arraiolos, ainda na 3ª volta. Consegui aproximar-me muito e recuperei na última volta cerca de 45seg, mas não foram suficientes para passar o 4º classificado do qual fiquei no final da prova a apenas 8seg.
Resultado final: 1º Pedro Palma, 2º Pedro Gomes, 3º Miguel Arraiolos, 4º João Serrano e 5º Hugo Ventura (eu).
Nos Júniores, João Serrano em 1º, 2º para mim e 3º para o João Amorim.
No dia a seguir, mais uma prova, desta feita o Campeonato Nacional de Clubes, que se disputa no formato de estafetas, em que cada atleta dos 3 que compõem a equipa realiza um super-sprint. Mas para relatar esta prova passo por cá amanhã.
Importante também referir o trabalho das autoridades na segurança da prova. Aqui dois agentes da PSP meus conhecidos. Do meu lado direito, Raúl Lemos e do meu lado esquerdo o Chefe Rato.
Mais uma vez o meu muito obrigado a todos os que me apoiam.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Domingo de manhã...

Como é habitual ao domingo de manhã há sempre treino longo de bike para fazer. Este domingo que passou não foi excepção e visto que estava em Aveiro a malta reuniu-se toda mais uma vez no local do costume: Knock-Out health club. Desta vez a partimos por volta das 08h30 visto que está calor e assim sempre dá para andar mais um bocadinho. Quando cheguei ao local penso que já estava tudo e fui conjuntamente com o meu pai e o Paulo Pires os últimos a chegar ainda que dentro da hora (acho eu =P). Com uma grande recepção por parte de todos, o meu dia já estava ganho. E pronto, no fim de tudo isto iniciámos nós a nossa volta. Direcção Cantanhede, Cadima, Tocha, Mira e depois casa. No meio da volta (ali pelos lados da Tocha), lembrei-me de fazer isto:

video

Como estava muito vento contra nesta altura, não dá para ouvir o que se ia dizendo, mas o importante é a ideia e mostrar também o pessoal com quem tenho o prazer de pedalar. A todos eles o meu muito obrigado, são mala 5 estrelas e para a semana já temos aí uma etapa bem engraçada.

terça-feira, 6 de julho de 2010

A Prova...

Tal como prometido, aqui estou eu para relatar a prova de domingo passado, dia 04 de Julho de 2010.
35 era o meu número, no meio de um pontão cheio, com 69 júniores à partida. Como nas provas de júniores os dorsais são atribuídos de forma aleatória, o número que nos calha é aquele que temos de ocupar. E assim foi. Muita concentração antes da prova, com visualização de toda a prova e essencialmente visualização do percurso de natação. Com tudo alinhado, rapidamente se ouviu "take your marks" e logo de seguida suou a buzina.
Muita confusão claro e eu apesar de não ter feito uma boa partida, acabei por ficar bem encaixado no grande grupo, que me permitiu progredir com alguma rapidez.
À saída da água era o 2º português (o 1º foi o João Serrano), estava numa posição em que não me eram permitidos erros e perdas de tempo. Tinha de fazer uma boa transição para apanhar o grupo da frente e foi isso que aconteceu. Como sabem, tenho um segmento de bike sempre muito forte e fiz-me valer dessa minha capacidade para apanhar o grupo da frente assim que pude, com um inicio muito forte. Com isto, ficaram alguns adversários para trás e ao final da 1ª das 4 voltas de bike, o grupo da frente já estava formado e tinha cerca de 15 atletas onde eu me inseria e era único português. No grupo de trás, com cerca de 5 unidades seguia o Miguel Fernandes que acabaria por ser absorvido pelo grupo do João Amorim e Fabrício Tomás. Quanto ao João Serrano, sofreu um furo a meio da 1ª volta, trocou de roda na weel stop e no final da mesma volta voltou a furar. Sem dúvida um dia de azar para ele o que fez com que depois da 2ª troca da roda traseira ficasse no último grupo da prova.
As bikes continuavam em andamento e o meu grupo cavava segundos para os perseguidores e ao longo dos 20kms amealhou cerca de 1min10seg, vantagem com que entrámos na 2ª transição. Agora era dar tudo para conseguir o melhor lugar possível.
Acabei por perder alguns metros no parque (embora não muitos) para alguns elementos e tentei sair forte sem perder referências. Assim foi. Mantive sempre alguns atletas na minha mira e durante o percurso acabei por conseguir passar um alemão. Tinha recuperado uma posição, mas logo de seguida fui passado por um italiano do grupo de trás (era só o Campeão do Mundo de Duatlo =P) e portanto, voltava a ocupar a mesma posição da classificação geral. Já nos metros finais aproximava-me de um outro italiano que tentei alcançar, mas com a meta já à vista foi impossível.
Resultado final: 12º lugar, que faz dele a minha melhor classificação enquanto júnior no ano em que termino a minha prestação em Campeonatos Internacionais neste escalão. Quanto ao resto dos portugueses. Miguel Fernandes foi 26º, Fabrício Tomás 31º, João Amorim 46º e João Serrano 62º.
Já de regresso a Portugal, segue-se o meu 1º Triatlo Olímpico da época a realizar na Minha Terra no fim de semana de 17 e 18 deste mês. Sábado 17, Aveiro recebe a 2ª etapa do Campeonato Nacional Individual e domingo 18, o Campeonato Nacional de Clubes nos mesmos moldes do ano passado. Até lá, resta-me treinar...
Fotografias: Paulo Gonçalves

Atlhone - Irlanda

Bem, não foi muito o meu objectivo divulgar aqui no meu blog a minha participação no Campeonato da Europa deste ano, embora grande maioria das pessoas o soubesse. Esta minha escolha tem toda ela uma explicação. Durante a minha curta carreira desportiva, já venci muitas vezes, mas também já levei muitas chapadas que me fizeram aprender e muito. Foi por tudo o que se pode retirar desta última frase que decidi manter-me "afastado" e limitar-me sim, a fazer aquilo que costumo fazer com mais regularidade aqui, que é a reportagem daquilo que aconteceu da prova, com a minha vivência e opinião. Tudo isto não significa de modo algum que não tivesse objectivos traçados na minha mente. É claro que eles existiam, eu apenas não os queria tornar públicos, partilhando-os apenas com as pessoas em quem posso confiar verdadeiramente: os meus PAIS. E foi assim que o fiz. Conversei muito com eles e deram-me muita confiança e vontade de vencer, fazendo-me acreditar ainda mais em mim.
Hoje, venho aqui, não para relatar já a prova, mas sim para falar um bocado dos momentos que a antecederam. Palavras para a prova em si, ficam para amanhã, altura em que passarei aqui para contar como foi.
A deslocação da selecção Nacional de Júniores (onde me incluo), partiu na 5ª feira do aeroporto de Lisboa rumo a Frankfurt. Depois de uma escala no aeroporto prolongada rumámos até Dublin já juntamente com a Selecção Nacional de Elites, que entretanto se encontrou connosco, vindos de treinar em altitude. Descanso no hotel, para nos dias seguinte fazermos devidamente a nossa aproximação à prova. Assim foi, tudo correu pelo melhor com tremenda organização por parte dos dirigentes e técnicos e no dia da prova, estávamos todos prontos. Era chegado o momento em que todos tínhamos de mostrar o que estávamos a valer. Quanto a mim, estava certo que me tinha preparado convenientemente e que estava pronto para dar o meu melhor. Antes da prova, como é habitual fazer quando os meus pais não estam presentes, uma chamada para falar com cada um deles. São momentos em que fico tranquilo. Cada um deles me diz coisas diferentes, mas todas elas importantes. Desta feita como era domingo, o meu pai (pessoa com quem falei 1º) estava a dar a sua volta de bike. Parou, falou breves instantes comigo e desejou-me boa sorte ainda com umas palavras também elas de boa sorte por parte do Henrique, que é um grande amigo e que estava nesse dia a pedalar com o meu pai, aliás como faz todos os fins-de-semana (vocês, já vão conhecendo a malta de quem eu tenho prazer de falar aqui publicamente no meu blog). A mim restava-me agradecer aos dois e retribuir com palavras como "bom treino" e "vou dar o meu melhor". De seguida liguei a minha mãe. Falei o máximo de tempo possível (assim como fiz com o meu pai) e durante a conversa fui-lhe respondendo a perguntas que me fazia essencialmente acerca da disposição como me encontrava. "Sentes-te bem", "Estás muito nervoso?" e coisas deste género. Estava na hora de desligar, vestir o fato isotérmico e preparar para a prova. Agora sim, estava preparado e concentrado a 100% para fazer a prova, que até ao momento era a prova mais importante da minha época, o Campeonato da Europa de Triatlo de Júniores, que se realizaram na pequena cidade de Atlhone - Irlanda.